Santa Cecília

Santa do Dia 22 de Novembro

by Cynthia
0 comment

Última atualização há 2 anos by Cynthia

Origem

Santa Cecília nasceu em Roma, em torno do ano 150 e pertencia à família nobre. Seu pai foi senador do Império Romano.

Cecília era cristã e fez voto de castidade pois seu desejo era o de somente amar a Deus.

Prometida em casamento ao também nobre romano Valeriano, Cecília obedeceu à vontade de seus pais, porém manteve-se firme em seu voto de virgindade e entrega a Jesus.

Conversão do Marido

No dia de seu matrimônio, Cecília contou ao marido, que era pagão, que tinha feito um voto de virgindade perpétua e que estava sob a proteção de um anjo.

Valeriano ficou impressionado com a convicção de Cecília e prometeu que aceitaria sua decisão se ele visse o anjo que a protegia.

Cecília aconselhou ao marido que fosse ao encontro do Papa Urbano I e ele, acompanhado do irmão Tibúrcio, foi conversar com o Papa. Impressionado, primeiro pela convicção de Cecília e depois pela pregação do Papa, Valeriano se converteu ao Cristianismo. Seu irmão também se converteu.

Ambos foram catequizados e batizados pelo Papa Urbano I.

Após sua conversão, Valeriano ao chegar em casa certa vez, viu o anjo ao lado de Cecília quando esta rezava.

Martírio em nome da Fé

Cecília, seu marido Valeriano e seu cunhado Tibúrcio, foram denunciados às autoridades romanos por serem cristãos.

O prefeito de Roma, de nome Turcius Almachius, os mandou prender e exigiu que abandonassem sua fé cristã.

Valeriano e Tibúrcio foram inquiridos primeiro e, ao se negarem a abandonar sua fé, foram torturados e condenados à morte. Ambos foram decapitados.

Cecília, depois, foi também obrigada a abandonar sua crença em Jesus Cristo e, por se recusar a abandonar sua fé, foi condenada à morte, assim como seu marido e seu cunhado.

O prefeito de Roma mandou que a prendessem em uma terma, sob temperaturas extremamente elevadas, para que morresse asfixiada pelo intenso calor. Porém, Cecília sobreviveu e, diante disso, foi condenada à morte por decapitação.

Cecília foi golpeada por três vezes mas não foi decapitada. Sua cabeça não foi separada de seu corpo. Cecília ficou caída no chão, ferida e agonizando por três dias. À beira da morte, Cecília ainda conseguiu doar todos os seus bens para os pobres.

Cecília e a Música

Segundo dizem, Cecília tinha uma ligação profunda com a música.

Ela teria pedido a proteção do anjo por sua virgindade inspirada pelo som de instrumentos musicais e teria cantado louvores a Deus durante a tortura da asfixia e em seus últimos momentos de vida.

Cecília morreu em torno do ano 225.

Santa Cecília foi e é ainda hoje, um exemplo de coragem e de amor a Jesus Cristo, por seu testemunho de fé ao entregar-se ao martírio e à morte em nome da fé cristã.

Ela é a Padroeira da Música e sua festa litúrgica é celebrada no dia 22 de novembro.

Oração

“Santa Cecília, virgem e pura, ajudai-nos a preservar a inocência do corpo e da alma, e a ensiná-la especialmente às crianças e jovens,

e intercedei ao Pai para livrar o mundo dos abusos da mentalidade maliciosa e da sexualidade distorcida e desregrada, que levam, conforme ensina a igreja, tantas pessoas para o inferno.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, pela Santíssima Virgem Maria e pelo castíssimo São José. Amém!”

Artigos Relacionados