Dr Bezerra de Menezes

O médico dos pobres

by Cynthia
0 comment

Última atualização há 2 anos by Cynthia

Origem e Família

Adolfo Bezerra de Menezes nasceu no dia 29 de agosto de 1831, em Riacho do Sangue, no Ceará.

Sua família era muito abastada. Seu pai, Antônio Bezerra de Menezes era fazendeiro, criador de gados, atividade que proporcionava fortuna para a família.

Adolfo era o caçula de quatro filhos.

Tanto seu pai como sua mãe, Fabiana de Jesus Maria Bezerra, eram pessoas dotadas de muita generosidade e bondade.

Foi sob esse exemplo e influência que Adolfo Bezerra de Menezes cresceu.

Perda Financeira

O pai de Adolfo, Sr Antônio, era um homem muito bom e generoso, que sempre ajudava a todos que lhe solicitavam.

Ele tinha sido tenente-coronel do exército, então era o “coronel’ Antônio, como eram chamados os fazendeiros ricos e a quem as pessoas recorriam para pedir ajuda. E o Sr Antônio não só atendia a todos como não media esforços para ajudar.

A profunda bondade e caridade do Sr Antônio que, no intuito de ajudar a todos que lhe procuravam se utilizava dos recursos financeiros da família, acabou por gerar muitas dívidas financeiras.

Essas dívidas causaram uma perda financeira muito grande e uma mudança no padrão de vida da família.

Os irmãos mais velhos do então garoto Adolfo já tinham se formado mas ele teve que completar seus estudos em escola pública. E o fez muito bem pois tinha muita inteligência e facilidade de aprendizado.

Devido às idéias liberais do pai, por perseguições políticas a família precisou sair do Ceará mudando-se para o Rio Grande do Norte, quando Adolfo tinha onze ano de idade.  Porém retornou ao Ceará alguns anos depois, fixando residência na Capital.

A Medicina em sua vida

Os irmãos mais velhos do jovem Adolfo se formaram em direito, entretanto ele sentia que sua vocação era para a medicina.

Seu pai, exemplo de bondade, em momento algum fez objeção ao desejo do filho, ao contrário, o incentivou a ir atrás de seu sonho.

Na época, não havia faculdades de medicina na região e então, com sacrifício e ajuda da família, Adolfo foi enviado para o Rio de Janeiro para estudar.

Em 1851, Adolfo Bezerra de Menezes iniciou seus estudos de medicina formando-se cinco anos depois, com muito esforço e sacrifícios. Era 1856 e Adolfo tinha vinte e cinco anos de idade.

Médico dos Pobres

O início como médico formado não foi fácil. Sem dinheiro para montar seu próprio consultório juntou-se com um colega mais abastado para dividirem uma pequena sala de trabalho.

Após algum tempo, o jovem médico Adolfo Bezerra começou a mostrar a aptidão para a profissão que tinha escolhido e passou a adquirir fama. Entretanto, o reconhecimento que estava adquirindo não lhe trazia retorno financeiro pois as pessoas que atendia eram muito pobres, sem dinheiro para pagar por seus serviços de médico.

O agora Dr Adolfo Bezerra de Menezes jamais tocava no assunto dinheiro com seus pacientes.

Após mais algum tempo, o Dr Bezerra de Menezes foi convidado por um amigo também médico para trabalhar como médico militar. Foi nessa função que Dr Bezerra desenvolveu uma nova especialidade, a cirurgia.

A partir dessa nova especialidade que a fama de Dr Bezerra se estabeleceu de vez de forma que vinham clientes de longe para serem atendidos por ele. A pequena sala, no centro da cidade, começou a aumentar em muito a clientela, muitos agora com condição de pagar as consultas.

Dr Bezerra, entretanto, continuava a atender às pessoas pobres e que não tinham condições de pagar. E não só atendia a todos, como utilizava os recursos financeiros que agora possuía, para ajudar seus clientes, não apenas com remédios mas também lhes fornecendo roupas e tuda mais que necessitassem.

Nascia assim, o Médico dos Pobres, título esse que o próprio Dr Bezerra dizia ser o mais honroso que poderia ter recebido em sua vida.

Conversão ao Espiritismo

Dr Bezerra de Menezes se casou, em 1858, com Dona Maria Cãndida de Lacerda, tendo com ela dois filhos.

Porém, sua vida conjugal, constituída de muito amor, foi abalada pouco tempo depois quando Dona Maria Cãndida, acometida por enfermidade fulminante morreu em 1963, ficando Dr Bezerra sozinho com os filhos pequenos, com três e um ano de idade.

De formação religiosa católica porém não muito praticante, Dr Bezerra buscou consolo para a tristeza pela perda da esposa na Bíblia, que passou a ler e meditar sobre seus ensinamentos.

Nesse período já era forte o movimento espírita na Europa, onde vivia o grande divulgador e codificador do Epiritismo, Allan Kardec.

No Brasil, essa nova doutrina já vinha também adquirindo adeptos e já estavam se formando centros e associações espíritas.

Em 1876 fundou-se a primeira sociedade espírita kardecista no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro.

Durante alguns anos tanto a doutrina como seus seguidores sofreram com a incompreensão dos não adeptos e também havia muita desorganização na maneira como a nova doutrina era difundida. As sociedades e centros que existiam praticavam suas atividades de maneiras muito particulares, sem conhecimento e interação uns com os outros.

Havia portanto, a necessidade de mais união, disciplina e unidade entre os praticantes e entre os centros espíritas existentes na época.

Foi assim que foi fundada a Federação Espírita Brasileira, com o objetivo de estabelecer uma unidade na prática da nova doutrina.

Dr Bezerra de Menezes, médico já respeitado foi um dos convidados para dirigir a recém fundada Federação Espírita, porém, como criatura de extrema humildade e modéstia que era, recusou o cargo oferecido. Mas, já adepto da doutrina, foi orador na Federação.

A conversão do Dr Bezerra de Menezes ao Espiritismo, doutrina que já vinha estudando, se deu definitivamente após uma consulta com um médium, praticante da homeopatia que já era difundida na época. Dr Bezerra enviou ao médium, chamado João Gonçalves do Nascimento, um pedido de receita informando somente seu nome, idade e residência. Ao receber de volta a receita com o diagnóstico exato do problema que o acometia, Bezerra de Menezes converteu-se em definito à nova doutrina.

Legado de amor, humildade e caridade

Dr Bezerra de Menezes dedicou-se intensamente à divulgação da doutrina enfrentando muitos desafios e incompreensão.

Foi também jornalista e político e assim como na medicina, em todas as funções que exerceu, praticou-as com humildade, generosidade e retidão de caráter.

Casou-se novamente em 1865, com Cãndida Augusta de Lacerda, irmã de sua primeira esposa, tendo com ela sete filhos. Dona Cândida foi sua companheira até o fim de sua vida.

Sua grande preocupação e dedicação foi para com os doentes e pobres a quem se voltou com extremo amor e caridade, utilizando até seus últimos recursos financeiros para suprir-lhes as necessidades.

No início do ano de 1900 Dr Bezerra de Menezes sofreu uma congestão cerebral paralizando sua fala e movimentos, deixando-o preso a uma cama e agonizando por meses.

Morreu no dia 11 de abril de 1900, pobre de recursos materiais mas com a alma rica de amor, caridade e abnegação.

Dr Adolfo Bezerra de Menezes, o Médico dos Pobres, é figura admirada e reverenciada na Doutrina Espírita.

Artigos Relacionados