Chico Xavier

Uma vida dedicada ao amor e à caridade

by Cynthia
0 comment

Última atualização há 2 anos by Cynthia

Chico Xavier foi um médium brasileiro muito respeitado e admirado, não somente no Brasil como no mundo.

Ele foi e continua sendo um exemplo de amor ao próximo, de caridade e humildade.

Durante toda sua vida, prestou assistência a milhares de pessoas levando amor, generosidade e consolo.

Sua vida não foi fácil, desde a infância passou por muitos sofrimentos, desde a perda da mãe ainda criança, a rejeição da própria família e o desrespeito e escárnio que enfrentou na vida adulta por aqueles que não acreditavam em sua capacidade de comunicação com os Espíritos.

Mas ele sempre se manteve firme em sua missão junto à Espiritualidade e com isso nos deixou um verdadeiro legado de conduta moral e de ensinamentos sobre o mundo espiritual.

Nascimento e Infância Triste

Chico Xavier nasceu Francisco Cândido Xavier, no dia 02 de Abril de 1910. Sua cidade natal foi Pedro Leopoldo, no Estado de Minas Gerais.

De origem humilde, seu pai, João Cândido Xavier, era operário e sua mãe, Maria João de Deus, era doméstica, sendo ambos católicos e analfabetos. Chico ficou orfão de mãe quando esta faleceu em 1915, tendo ele apenas 05 anos de idade.

João Cândido e Maria João tiveram 09 filhos além de Chico: Carmosina, Maria Cândida, Luzia, José Cândido, Maria de Lourdes, Raimundo, Maria da Conceição e Geralda.  Após o falecimento da mãe e por seu pai não ter condições de cuidar de todos os filhos, Chico e outros cinco irmãos foram entregues a padrinhos e amigos para serem criados.

Chico foi entregue a uma amiga de sua mãe e sua madrinha, de nome Rita de Cássia, que era uma mulher muito agressiva e cruel e muito perturbada emocionalmente. Ela era, na verdade, muito obsediada por espíritos desencarnados.

Chico foi muito maltratado por ela, que o agredia e castigava por qualquer motivo. Ele próprio relatou que chegava a apanhar 03 vezes por dia com vara de marmelo e que sua madrinha também lhe espetava garfos na barriga, o que lhe causava muitos ferimentos e dores e muito sofrimento.

Chico também dizia que os únicos momentos de paz para ele aconteciam em encontros com sua falecida mãe, com cujo espírito ele conversava desde os cinco anos, ou seja, desde o falecimento dela. As conversas com sua mãe eram um momento de amor e ternura para o pequeno Chico, pois ela o confortava com doces palavras.

Seu pai casou-se novamente, com uma mulher bastante bondosa, chamada Cidália Batista e Chico e seus irmãos foram morar novamente com o pai, tendo sido sua madrasta muito boa para ele e seus irmãos, tratando a todos como seus próprios filhos, com muito carinho. Cidália foi uma segunda mãe para ele.

Do casamento de João Cândido e Cidália Batista nasceram 06 filhos.

Chico estudou apenas até o primário e começou a trabalhar muito cedo, aos 08 anos de idade.

Mediunidade

A mediunidade de Chico se manifestou muito cedo, quando ele tinha apenas 04 anos de idade e já via e escutava Espíritos.

Chico foi católico até 1927, quando estava com 17 anos de idade. Nessa época, uma de suas irmãs começou a sofrer obsessões espirituais e sua família precisou pedir ajuda a um casal de espíritas, José Hermínio Perácio e Carmen Pena Perácio. Eles realizaram algumas reuniões espirituais de desobsessão na casa da família, até que sua irmã fosse curada e ficasse livre das obsessões que a perturbavam.

Nessas reuniões se praticava o Evangelho no Lar, um momento de leitura, reflexão e prece, que foi mantido em sua casa. A partir disso, Chico começou a seguir a Doutrina Espírita se desligando do catolicismo.

No mesmo ano de 1927, acompanhado do casal José Hermínio e Carmen e de outras pessoas ligadas ao Espiritismo, Chico funda o Centro Espírita Luiz Gonzaga, em sua terra natal, Pedro Leopoldo. Começou também nessa época a escrever poesias cuja autoria era atribuída a poetas já falecidos.

Em 1931, Chico perdeu sua madrasta e segunda mãe, Cidália, e foi nessa época também que se deu seu primeiro encontro com Emmanuel, seu Mentor Espiritual, que passou a orientar seu compromisso com a Espiritualidade e com o trabalho mediúnico.

Chico Xavier relatou que já nesse primeiro encontro com Emmanuel, este lhe avisou sobre sua missão de escrever livros que seriam ditados por Espíritos e que lhe seria exigido muita dedicação e disciplina para o trabalho que realizaria a partir daí. Em suas próprias palavras, Chico disse que seu Mentor falou que lhe seriam necessárias três condições para essa missão: “disciplina, disciplina e disciplina”.

A partir desse encontro com Emmanuel, se inicia para Chico sua vida de estudo e trabalho no Espiritismo e serviço mediúnico.

Em 1959 mudou-se para a cidade de Uberaba, também em Minas Gerais, onde permaneceu até sua morte.

Suas Obras

A obra de Chico Xavier é bastante extensa e diversificada. Foram 412 livros psicografados por diversos Espíritos.

O primeiro livro psicografado por Chico, em 1931, foi Parnaso de Além Túmulo, onde constam poemas ditados por cerca de 56 poetas desencarnados.

Chico psicografou livros de poesias, romances históricos, livros com mensagens edificantes e para nossa reflexão. Psicografou também muitos livros reveladores da própria Doutrina Espírita e da vida espiritual.

Dentre esses livros, talvez os mais reveladores sobre a vida no mundo espiritual sejam os livros ditados a Chico pelo Espírito André Luiz. Este, foi um Espíritos que mais ditaram livros psicografados por Chico Xavier. Ao longo de vários anos André Luiz ditou livros para Chico.

O primeiro livro, que deu início a uma série que nos falam sobre a vida no mundo espiritual, ditados por André Luiz a Chico Xavier, foi “Nosso Lar”, que conta a chegada do próprio Espírito André Luiz ao Plano Espiritual. A partir de “Nosso Lar” seguiram-se vários livros que, com muitos detalhes, nos relatam a vida na espiritualidade.

Chico Xavier escreveu centenas de livros, foram 412 livros psicografados e publicados, inclusive em outros idiomas. Entretanto, jamais recebeu os direitos autorais por seus livros. Todo o dinheiro pela autoria e venda de seus livros era e continua sendo doado a obras assistenciais. Porque mesmo após duas décadas de sua morte, seus livros continuam sendo vendidos e lidos ao redor do mundo.

Chico sempre se manteve com seu salário de funcionário público e depois com sua aposentadoria.

Legado de Amor

Chico Xavier nos deixou no dia 30 de Junho de 2002, aos 92 anos de idade. Foi viver no plano espiritual que tanto ele nos trouxe conhecimento.

Chico foi e continua sendo o mais conhecido e respeitado médium do Brasil e do mundo.

Porém, muito mais do que sua fama como médium, seu maior legado é seu exemplo de vida.

Chico Xavier foi e ainda é um exemplo de amor ao próximo, de generosidade e de caridade. Dedicou sua vida a serviço do próximo, a levar esperança e consolo a todos. Seja através de seus livros e cartas psicografadas, seja, principalmente, através de seu exemplo de vida.

Chico Xavier foi um ser de luz que viveu na Terra para nos ensinar o amor, a fé, a caridade, o perdão e a esperança.

Artigos Relacionados

Leave a Comment